I'm a paragraph. Click here to edit and add your own text. Is easy! Just click on "Edit Text" or double-click on me and you can add your own content and change fonts. I'm a great place for you to tell your story and let your customers know a little more about you. If you want to delete me, just click on me and then press the Delete key.

Você conseguiria viver em uma gaiola, sem poder se mover, confinado de forma extrema e entre os restos de algumas pessoas que já morreram? Seguramente, você não sobreviveria, mas essa é a realidade de milhões de galinhas na indústria dos ovos no Brasil e na América Latina.

 

Elas são torturadas durante toda a vida em gaiolas minúsculas, onde não podem sequer andar ou abrir suas asas completamente. 

Mais de 90% das centenas de milhões de galinhas utilizadas na produção industrial de ovos no Brasil e na América Latina passam suas vidas inteiras confinadas nas chamadas gaiolas em bateria. Nelas, as aves não podem sequer caminhar ou abrir suas asas.

 

Cada gaiola confina de 5 a 10 animais juntos, e cada galinha tem um espaço menor do que uma folha de papel A4 para viver. Muitas não sobrevivem e as que conseguem viver muitas vezes são forçadas a conviver com os restos das que morreram.

Devido a essa enorme crueldade, as gaiolas em bateria convencionais já foram proibidas em toda a União Europeia, Nova Zelândia e diversos estados norte-americanos. O Canadá também já se comprometeu a acabar com esse sistema de confinamento gradualmente.

Os porcos são um dos animais mais inteligentes do planeta, com habilidades cognitivas similares a dos grandes primatas, golfinhos e elefantes. Esses animais incríveis têm consciência de si mesmos e já foram considerados mais inteligentes do que os cães em estudos científicos. Eles também têm hábitos muito limpos e dividem o espaço onde vivem em áreas de descanso, de comer, de brincar e de fazer suas necessidades. Assim como nós, eles sentem medo, dor e tristeza.

As granjas industriais ignoram totalmente as necessidades desses animais. No Brasil e na América Latina, milhões de porcas reprodutoras - usadas para parir leitões - são confinadas em gaiolas de gestação por praticamente toda a vida. Essas gaiolas têm aproximadamente o mesmo tamanho dos corpos das porcas, e por isso elas não podem sequer andar ou virar-se dentro da gaiola. Elas vivem suas vidas inteiras sem poder expressar seus comportamentos naturais, como fuçar, buscar comida, fazer ninhos e pastar. Sem dúvida, essa é uma das piores crueldades da indústria da carne.

Os estudos científicos demonstram que porcas engaioladas são mais propensas a sofrer de frustração e trauma psicológico. Elas também sofrem de problemas físicos como infecções urinárias, ossos enfraquecidos, manqueiras ou até mesmo perda da locomoção devidos a problemas nas pernas e cascos.


Grandes cadeias de fastfood como SubwayMcDonald’s y Burger King, já anunciaram que vão eliminar o uso de gaiolas de gestação em toda a América Latina. No Brasil, os três maiores produtores - BRF, JBS e Aurora - também já assumiram esse compromisso.